24
Abr

Só um Cravo

Afinal, é só um cravo. Desses que tomam os campos em meados de Abril. Que secam na beira das eiras se não forem apanhados, ou caem em cima das...

Ler Mais
10
Set

O CHÃO COMO CORAÇÃO

Ou o fim é o início   Para os antigos celtas o dia começa no crepúsculo. O ano começa no ponto de maior escuridão. Verdadeiramente, para os povos primevos...

Ler Mais
10
Set

Alento e Lamento

Sento-me entre duas Senhoras. A Senhora  do Lamento e a Senhora do Alento. Nesse diálogo que se quer silêncio, enquanto a  decomposição acontece no vagar dos dias. O Outono...

Ler Mais
10
Set

AMADURECER

É uma grande benção e uma grande honra poder oferecer mãos e voz ao grande mistério que nos anima e poder morrer para criar um novo chão. Encontro nisso...

Ler Mais
10
Set

ATRAVESSAR O FOGO

Numa cultura onde a falácia obsessiva é o crescimento ilimitado, cabe lembrar o simbolismo do Solstício de Verão para os nossos antepassados. Há um ciclo na Terra, do qual...

Ler Mais
10
Set

AMADURECER, DECAIR E UM PAR DE MÃOS

Cais adentrando o chão Pedaços espalhados: algumas arestas cortantes, outras suaves partículas de pó. Ali ficas, apercebendo-te de todo o caos quebrado. O coração pulsa, não te moves. Ainda...

Ler Mais
10
Set

SOBRE REPOR MAIS DO QUE RETIRAMOS

A desconstrução da identidade colectiva como caminho para a identidade profunda O nosso conceito de troca e reciprocidade está equivocado. Cremos, que para haver funcionalidade numa relação tudo deve...

Ler Mais
error: Content is protected !!